Aulas de Campo como Instrumentos para difusão da Sustentabilidade

Giovana Dominicci Silva, Agnês de Oliveira Marinho, Micheli Kowalczuk Machado, João Luiz de Moraes Hoefel

Resumo


A busca pela sustentabilidade é um desafio para a sociedade global. Neste sentido, é fundamental proporcionar meios para que os indivíduos realmente compreendam a complexidade da problemática ambiental para que desta forma possam perceber e desenvolver uma interação mais equilibrada entre o ser humano e o meio ambiente. Para tanto existem várias maneiras de promover processos de aprendizagem para o desenvolvimento sustentável. Assim, este artigo apresenta a análise da percepção dos alunos sobre as experiências e lições práticas em ambientes naturais, promovidas pelo programa de ensino superior do Curso Tecnológico em Gestão Ambiental do Centro Universitário UNIFAAT. Tais atividades permitiram uma melhor compreensão do que é abordado em aulas e proporcionam experiências transformadoras na vida pessoal dos estudantes e em sua carreira profissional como gestores ambientais.

 


Palavras-chave


Sustentabilidade. Aulas de campo. Transtorno do Déficit de Natureza.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, B. P. As relações entre o homem e a natureza e a crise socioambiental. 2007. Dissertação. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, 2007.

AMARAL, R.; GUTJAHR, M. R. A influência humana nos Desastres Naturais e suas consequências: desastres naturais. São Paulo: IG/SMA, 2011. Disponível em: http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/publicacoes/2016/12/8-DesastresNaturais.pdf. Acesso em: 06 jan. 2018.

ARAÚJO, G. C.; SILVA, R. P. Desenvolvimento Sustentável do Meio Ambiente: Estudo no Instituto Souza Cruz. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 2., 2014, Belo Horizonte. Anais [...] Belo Horizonte: Faculdades Integradas Rui Barbosa de Andradina/SP – FIRB, 2014. p. 12-15. Disponível em: https://www.ufmg.br/congrext/Meio/Meio57.pdf Acesso em: 06 jan. 2018.

ATCHLEY, R. A.; STRAYER D. L.; ATCHLEY, P. Creativity in the Wild: Improving Creative Reasoning through Immersion in Natural Settings. PLoS ONE [on line], v. 7, n.12, p.1-3, dez. 2012.

AUER, M. R. Sensory Perception, Rationalism and Outdoor Environmental Education. International Research in Geographical and Environmental Education [on line], v. 17, n. 1, p. 6-12, 2008.

BARBOSA, S. R. C. S. Qualidade de vida e necessidades sentidas: uma aproximação teórica. Humanitas, Campinas, v. 1, n. 2, p. 39-62, 1998.

BROOKES, A. Lost in the Australian bush: Outdoor education as curriculum. Journal of Curriculum Studies [on line], v. 34, n. 4, p. 405-425, 2002.

BROOKES, A. A critique of Neo-Hahnian outdoor education theory. Part two: “The fundamental attribution error” in contemporary outdoor education discourse. Journal for Adventure Education and Outdoor Learning [ on line], v. 3, n. 2, 119-132, 2003.

CASTINO, R. Cursos da USP: Gestão Ambiental atua na relação homem-natureza: Ampla atuação, alto índice de empregabilidade e caráter multidisciplinar são as principais características. Jornal da USP [on line], 23 nov. 2017. Disponível em: [on line] http://jornal.usp.br/universidade/cursos-da-usp-gestao-ambiental-atua-na-relacao-homem-natureza/ Acesso em: 12 jan 2018.

DWYRE, V. J. Nature Deficit Disorder and the Need for Environmental Education. Thesis, Fordham University, 2015.

GUIMARÃES, E.; PELLIN, A. BiodiverCidade: Desafios e Oportunidades na Gestão de áreas Protegidas Urbanas. Matrix, São Paulo, 2015.

HOEFEL, J. L.; SILVA, G. D.; MACHADO, M. K. Projeto Socioambiental Integrado: práticas de formação e extensão. UNIFAAT, Atibaia, 2017.

JACOBI-VESSELS, J. L. Discovering Nature: The Benefits of Teaching Outside of the Classroom. Dimensions of Early Childhood [on line], v. 41, n.3, p. 4-10, 2013.

KUO, F. E. M. Nature-deficit disorder: evidence, dosage, and treatment. Journal of Policy Research in Tourism, Leisure and Events [on line], v.5, n.2, p.172-186, 2013.

KYTTÄ, M. Children in outdoor contexts: affordances and independent mobility in the assessment of environmental child friendliness. Helsinki University of Tehncology, Centre for Urban and Regional Studies, Espoo, 2003.

LOUV, R. Do Our Kids Have Nature-Deficit Disorder? Educational Leadership [on line], v. 67, n. 4, p. 24-30, 2010. Disponível em: http://forestschoolportfolio.com/wp-content/uploads/2015/08/DoOurKidsHaveNature-DeficitDisorderLouv.pdf. Acesso em: 07 jan. 2018.

LOUV, R. A Última Criança na Natureza. Resgatando as Nossas Crianças do Transtorno do Deficit de Natureza. São Paulo: Aquariana, 2016.

LUGG, A. Developing sustainability-literate citizens through outdoor learning: possibilities for outdoor education in Higher Education. Journal of Adventure Education and Outdoor Learning [on line], v. 7, v.2, p. 97-112, 2007.

MALLER, C.; TOWNSEND, M.; PRYOR, A.; BROWN, P.; St LEGER, L. Healthy nature healthy people: ‘contact with nature’ as an upstream health promotion intervention for populations. Health Promotion International [on line], v.21, n. 1, p. 45-54, 2006.

MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT. 2003. Disponível em: www.millenniumassessment.org/en/Framework.aspx. Acesso em: 6 jan. 2018.

PAULO, R. F. O Desenvolvimento Industrial e o Crescimento Populacional como Fatores Geradores do Impacto Ambiental. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 7, n.13/14, p. 173-189, ago. 2010. Disponível em: http://www.domhelder.edu.br/revista/index.php/veredas/article/view/180/153. Acesso em: 05 jan. 2018.

PELLIN, A.; CARVALHO, G.; REIS, J. C.; PELLIN, A. Gestão do uso público em unidades de conservação urbanas: o caso do Parque Estadual da Pedra Branca (RJ). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 7, n. 2, p.344 373, maio./jul. 2014.

PRIEST, S. The Semantics of Adventure Education. Adventure Education. In: Miles JC, Priest (eds) Adventure Programming, Venture Publishing Inc, State College, PA, p. 111-115, 1999.

SCHULTZ, P. W.; SHRIVER, C.; TABANICO, J. J.; KHAZIAN, A. M. Implicit connections with nature. Journal of Environmental Psychology [on line], v. 24, p.31–42, 2004.

SILVA, K. C.; SAMMARCO, Y. M. Relação Ser Humano e Natureza: Um Desafio Ecológico e Filosófico. Monografias Ambientais, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 01-12, maio/ago. 2015.

SUAREZ, C. F. S.; SEIXAS, S. R. C. S.; HOEFFEL, J. L. M.; FADINI, A. A. B.; SILVA, G. D. Reflexões Sobre Turismo Sustentável e Qualidade de Vida em Unidades de Conservação. Qualidade de Vida e Turismo na Sociedade Contemporânea. In: HOEFFEL, J. L. M.; FADINI, A. A. B.; SEIXAS, S. R. C. S. (eds.) Sustentabilidade, Qualidade de Vida e Identidade Local: Olhares sobre as APA’s Cantareira (SP) e Fernão Dias (MG). São Carlos: RiMa Editora/FAPESP, 2010, p. 135-147.

TILBURY, D. Education for Sustainable Development - An Expert Review of Processes and Learning. UNESCO, Paris, 2011.

TOPPO, G. Kids' electronic media use jumps to 53 hours a week. USA today [on line], 2010. Disponível em: http://usatoday30.usatoday.com/tech/news/2010-01-20-1Avideokids20_ST_N.htm?obref=obnetwork. Acesso em: 27 jun. 2018.

UNIFAAT – Centro Universitário. Cursos de Graduação: Gestão Ambiental, 2018. Disponível em: http://www.faat.com.br/site/curso_int.asp?num_curso=607. Acesso em: 03 jan. 2018.

UNITED NATIONS (UN). The 2030 agenda for sustainable development, 2015. Disponível em: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/21252030%20Agenda%20for%20Sustainable%20Development%20web.pdf. Acesso em: 10 nov. 2017.




DOI: https://doi.org/10.17648/1678-0795.momentum-v1n17-237

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Giovana Dominicci Silva, Agnês de Oliveira Marinho, Micheli Kowalczuk Machado, João Luiz de Moraes Hoefel



Centro Universitário UNIFAAT